P A N O  P A R A  M  A N G A S
19.05.2015






vestido, sandálias ZARA ; óculos P&B

Este vestido é a coisa mais bonita que já vi nos últimos tempos. É branco, é leve e tem as mangas mais belas e generosas de sempre fazendo-me lembrar a indumentaria feminina na era Romântica.

x
Peggy Baklajan


J E A N S
18.05.2015





top ZARA, jeans TOPSHOP, sapatos ZARA (old), brincos H&M

Se há algo que me faz gostar mesmo muito da Topshop é a parte dos jeans. Primeiro pela diversidade que nos disponibiliza, de cortes, de cores e pela qualidade que valem o que valem são aquele tipo de jeans que podem durar uma vida, segundo porque são os únicos em que mal os visto assentam que nem uma luva nos meus palitos, sem ser necessário de ir á máquina de costura. Assim, de simples.
Sempre tive um gigante problema para encontrar "aquele" par de jeans, antigamente ia mesmo à parte de criança porque era de meter as mãos à cabeça, achava que os meus metro e meio magros não tinham direito a ter um par de jeans normais como as pessoas normais. 
Mas há esperança e são cada vez mais a lojas que disponibilizam o tamanho 32 ou uma parte "petite" e fico mesmo contente com isso, porque se há imensas lojas quem têm o plus size porque não também o contrário?

x
Peggy Baklajan

L I V R E,  L E V E  E  S O L T O
21.04.2015







mom jeans TOPSHOP , blusa BLANCO, sandálias PULL&BEAR, óculos ZARA

Lembro-me do concerto dos D'alva na Universidade Nova De Lisboa nesses finais de Verão do ano passado como se fosse hoje. Acho que nunca conheci pessoas tão boa onda, tão positivas, tão #LLS como o Alex, o Ben, a Carolina e o Simão. A música dos D'alva é de facto terapêutica, tem-me acompanhado nos bons e maus momentos. Portanto, obrigada migz! Espero muito voltar a vê-los e em concerto também com muitos ananases cheios de glitter. 
Wandson, esse cara legal conhecido no Instagram pelas bonecadas e que aparece neste vídeo divando, quero conhecer você, me aguarde, um beijo!
 
x
Peggy Baklajan



R E D  I S  T H E  C O L D E S T  C O L O R
20.04.2015







Vermelho não é definitivamente a minha cor, mas como em tudo e todos nesta vida, merece pelo menos uma oportunidade, até eu própria com estes posts que ainda estou um bocadinho enferrujada. Acho que já não sei como iniciá-los, escrevi Oi, apaguei, voltei a escrever com olás e bom dias, apaguei, meti um smile que coisa estúpida, escrevi com olá em caps lock e pontos de exclamação e assustei-me, pareceu-me um bocado falso. Experimentei com outros idiomas. Nope.
Talvez deva terminar com um ínicio.
 
Olá!

x
Peggy Baklajan


W A T E R  M E
17.04.2015

 



11.15 a.m. Madrid.
Acabei de perder um avião. Um voo com partida às 9.55 e algum dinheiro gasto em vão (ou não). Um voo comprado com uma semana de antecedência para Lisboa com um inicial objectivo de me encontrar com um rapaz por quem, na minha inconsciência e perfeita ceguez, me deixei perder. Que à ultima da hora fez com que eu entrasse num completo pânico e ficou apenas o objectivo de ser uma viagem de passeio e visitar os amigos. Já que gastei dinheiro, que seja pelo menos bem gasto. Mas ainda assim acabei mesmo de perder o voo.
Ok, isto quer dizer que estou completamente louca e prestes a perder todo o pouco juízo que me resta.
Acabei de perder um avião, tudo por cansaço acumulado.
Noites mal dormidas, demasiadas preocupações, demasiadas dúvidas de mim própria, demasiados porquês, falta de vontade, falta de motivação, amores, desamores, vontade de desaparecer.
Acabei de perder um avião porque não ouvi o despertador e isso quer dizer que por muito grande fosse a minha vontade, o meu estado emocional, este desgosto, este esgotamento foram mais forte que todos os motivos válidos e inválidos de perder um voo.
Acabei de perder um avião e isso fez-me perceber que na verdade há males que vêm por bem e há bens que vêm por mal e talvez se isso não tivesse acontecido, não estaria aqui a escrever toda a minha angústia que me fez abandonar algo que outrora era um dos meus pilares para os meus dias fazerem sentido. O blog.
Senti uma enorme vontade de deitar isto cá para fora. Muita coisa mudou durante este espaço de tempo, mas não mudou todo o carinho que tenho por este blog e eis aqui a prova.
E agora como uma das muitas tatuagens que carrego neste corpo, para que tudo fique bem cicatrizado e bonito, terá que ser pouco a pouco e com muita paciência. Terei sempre vontade de mais.
 
Obrigada, se ainda estão aí desse lado, por me ouvirem.
Até já
 
Peggy Baklajan